21 de dezembro de 2015

Quem eu era!


Texto fictício, porém quem nunca sentiu-se assim?

Era manhã de primavera, novembro de 1989, para mim,o ano do amor. Havia uma calma escondida no peito, uma vontade enorme de abrir a janela, colocar o vasinho de flores sobre a mesa, e deixar os raios de sol adentrar a casa inteira. Eu era uma menina carregada de sonhos, tinha todas as formas de sorriso que alguém pode ter, e tinha também a alegria de espalha-lo em todas as estradas percorridas.  Era feita de versos, e trazia no coração as canções de amor que os poetas escreveram.
Não havia se quer uma gota de tristeza em mim, não havia poemas rabiscados, apenas versos que rimavam e combinavam igual às estrelas a cruzar o céu numa noite enluarada. O que eu tinha dava para desenhar num papel como a forma mais bucólica de amar, como quem espera encontrar em um abraço toda a forma de sentir-se completo, como quem vive para crer nos sonhos. Então, eu era exatamente assim, eu tinha um amor, eu vivia para esse amor e carregava dentro de mim um  oceano de coisas boas, que nunca passavam, que jamais tinham fim.

 Luzia Medeiros 

7 comentários:

  1. Nossa que belo, que bom ler esse lindo poema e saber que eu conheço essa escritora. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que belo, que bom ler esse lindo poema e saber que eu conheço essa escritora. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha linda! Fico super feliz que gostou!

      Excluir
  3. saudade de me sentir assim, enamorada! rs
    Lindo texto!

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Luzia
    Que as coisas boas nunca terminem para você e seu amado.
    Um Natal abençoado
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. Olá, Luzia! Mais um texto lindo, apaixonado... desejo em 2016 muito amor, cumplicidade e alegrias!

    ResponderExcluir
  6. Já me senti assim também, Luzia. E é tão lindo, né? Amar, assim, suavemente, é uma delícia e só nos faz bem.
    Lindas, as suas palavras!

    Beijão.

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir

Espresse aqui o que você achou das minhas palavras. Espalhem um pouco do seu carinho.