24 de janeiro de 2013

Um anjo pequenino.



Conto para a edição visual

Quando eu era criança, minha mãe sempre me dizia que todos nós temos um anjo. Hoje, vejo que ela tinha razão. Há dois anos, em uma das minhas licenças do exército conheci um garoto muito especial, que deu um novo rumo a minha vida. Era fim de tarde. A chuva fina e fria molhava toda a cidade de Temuco, no Chile. 

A chuva gélida parecia guiar meus passos. Os pingos aumentaram rapidamente. Encosto o meu corpo numa parede, para me proteger do vento forte. Olho ao lado, e vejo um garotinho coberto com jornais. Seu olhar parecia mais congelado do que as gotas cristalinas que caiam ao chão. Levei-o até minha casa. Dei comida, roupa e uma cama quentinha.  Ele não disse uma palavra, estava cansado demais para esboçar qualquer reação.

Após uma longa noite chuvosa, o dia amanheceu preguiçoso. Mas, quando vou até o quarto me deparo com ele já acordado. Olhou-me com aqueles olhos vívidos e perguntou:

- Quem é você? Por que está cuidando de mim? – Ele parecia assustado, perdido.

- Meu nome é Lucas. – Respondi com um olhar pacífico, desejando inundar de paz àquele quarto. Perguntei o seu nome. Ele disse que se chamava Bernardo, olhando em meus olhos. Agora era ele quem tornara aquele quarto sereno.  

Ele era um menino muito pobre, não tinha família e vivia mendigando um pouco de comida pelas ruas vazias de amor. E, eu era um jovem solitário, que embora amasse servir ao exército, por diversas vezes me sentia muito sozinho. Ele foi um anjo que surgiu de repente, me fazendo enxergar a vida com outros olhos.

A partir do momento que decidi adotá-lo como um filho, me veio à ideia de ajudar outras crianças carentes. Ali, em Temuco havia algumas comunidades que não tinham escolas. Convidei alguns soldados do exército, e juntos formamos uma escola, ajudando diversas crianças, ofertando aprendizado e esperança de um futuro melhor.

Tenho certeza que eu ganhei muito mais do que aqueles pequeninos órfãos de carinho. Eu ganhei o amor de cada um deles, ganhei uma imensa paz interior. Pude enxergar a nítida luz da vida através de cada olhar, que agora não mais surtiam lágrimas de abandono. E, aquele menino, que um dia sofreu perdido nas ruas, sentindo fome e frio, hoje, ajuda-me a plantar amor e esperança no coração de outras criancinhas, que são anjos pequeninos.
                                                     
                                                                                Luzia Medeiros 



18 comentários:

  1. Querida amiga Luzia!

    Belíssimo texto e muito enternecedor, onde o amor ao próximo se faz presente de forma digna e linda. Esta de parabéns!

    Beijos de luz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    POETA CIGANO – 24/01/2013

    “Poesias do Poeta Cigano”

    http://carlosrimolo.blogspot.com


    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do texto, tomara que as pessoas olhem e sintam o amor também, que queiram e se sintam incentivados a doar amor para as pessoas.
    Espero que ganhe no projeto õ/

    ResponderExcluir
  3. É assim, quando se decide ajudar o outro, a melhor recompensa não vem em forma de dinheiro e muito menos de qualquer outro bem material. A melhor recompensa vem da felicidade que você causa, do sorriso, do abraço.

    Bonito conto, bom dia.
    "_"

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga

    As vezes
    quando pensamos
    que podemos ajudar,
    a vida nos ensina
    que são
    os outros que nos ajudam...

    Que todos os dias
    os sonhos nasçam em ti,
    como nasce o sol pela manhã...

    ResponderExcluir
  5. OI linda!Quando ajudamos alguém é nós que somos ajudado ,pois a sensação de prazer que sentimos por este ato é muito bom ,e a recompensa é o sorriso...lindo texto. Há antes que eu esqueça seu blog esta lindo! Que cabeçalho maravilhoso!Parabéns

    ResponderExcluir
  6. adorei o texto, muito meigo. Até no meio do exército, onde você é sufocado com "sim senhor" pra lá e "sim senhor" pra cá, alguém consegue ter coração e ser comovido por uma criança ><
    lindo ^^

    ResponderExcluir
  7. Mesmo lindo =O há tantas historias de vida e tao diferentes, gostava de ter vivido esta =)

    http://inspirationsbymeforyou.blogspot.pt/

    Bjocas fofa =D

    ResponderExcluir
  8. Que o anjo de cada um esteja sempre ao lado,,,acompanhado os passos...beijos de bom sábado pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  9. Sempre aparece um anjo em nossas vidas que mudam o rumo das coisas. São esses anjos que tornam o vazio uma festa, a dor em alegria e a solidão em felicidade.

    O mundo sob o meu olhar

    ResponderExcluir
  10. Oi Luzia, muito lindo o que escreveu, todos nós temos um anjo ao nosso redor, ele está sempre nos protegendo.
    Tenha um ótimo final de semana, beijos

    ResponderExcluir
  11. Você, como sempre, escrevendo coisas maravilhosas!

    ResponderExcluir
  12. Um bom domingo pra ti minha amiga e uma semana cheia de paz amor e poesias....beijos e flores...

    ResponderExcluir
  13. Luzia, achei sua participação fantástica! Doar amor, em qualquer esfera, é uma excelente oportunidade para nos conhecermos melhor e percebermos o que realmente importa nessa vida. Ajudar quem precisa é um meio eficaz para isso. Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. Oi Luzia querida

    Lindo relato. Linda história.
    Se cada um fizermos um pouquinho o mundo fica melhor.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  15. Obrigada pela visita ao meu blog e adorei essa postagem, pois em tempos como este, precisamos mesmo de amor. Abraços.

    http://www.ladomalucadeser.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Em meio a tantas guerras, semear o amor ao próximo é sempre o certo a se fazer. Uma ótima semana pra você Lu!

    ResponderExcluir
  17. Historia linda, ao invés de ficarmos parados reclamando da vida, façamos algo de bom para outros. Amei sei blog.
    Já seguindo, bjs♥
    www.fotosemomentoss.blogspot.com.br/2013/01/book-externo-na-quinta-da-boa-vista.html

    ResponderExcluir
  18. Ain que achei lindo....amor é algo que deve ser sempre semeado!!! bjs flor

    ResponderExcluir

Espresse aqui o que você achou das minhas palavras. Espalhem um pouco do seu carinho.