18 de outubro de 2012

Uma rua do meu passado.



Eu recordo aquela rua de nome Amélia Augusta, mas carinhosamente apelidada de Rua da Placa. Não pensem que sinto eterno amor por ela, eu não gosto pelo simples fato de ser uma das ruas mais quentes aqui do sertão. As casas ficam todas de frente ao sol poente e o calor é insuportável.

Há somente uma coisa que me encanta naquela rua, o fato de que foi lá que vivi dos oito aos onze anos. Uma boa parte de minha infância está aprisionada lá. Quando fecho os olhos, abre-se uma janela de lembranças e me vejo correndo com outras crianças, brincando livremente de esconde-esconde, pulando corda, jogando matada. Ou, até mesmo fazendo travessuras, enchendo de papel a casa do vizinho da minha irmã.  

Agora eu moro numa avenida vizinha à velha Rua Amélia, e sempre quando a minha mãe me fala do desejo de voltar a residir lá, eu falo que detesto aquela rua, embora, eu ame as lembranças que tenho dela. Eu sei que são somente memórias guardadas, pois aquela meninada de antes não existem mais, elas não correm mais descalças embaixo da chuva. Não dividem mais comigo as brincadeiras nas noites de fogueiras, nas tardes quentes ou em noites estreladas.

Todas elas crescera,  até mesmo aquela menina que eu fui no passado se perdeu numa esquina qualquer desta vida feita de um amontoado de recordações que o tempo se encarrega de grudar dentro da gente para jamais esquecermos dos lugares, das pessoas, dos momentos que se eternizam no coração.

Por isso eu sempre volto àquela rua onde o sol faz morada e desfila num céu azulado, sem nuvens. Onde as pessoas se cumprimentam e comentam do intenso calor. Uma rua entre tantas outras, uma rua de muitas lembranças, velha rua do meu passado.

                                                           Luzia Medeiros

21 comentários:

  1. Luzia,que bela a homenagem a sua rua de infancia nessa linda poesia!Adorei!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  2. Oi, amei seu espaço, suas postagens. Aqui é muito agradavel,parabéns. Se poder depois passa no meu. bjs... http://intensevery.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ter lembranças é sempre bom né? Mesmo que algumas não valha a pena lembrar. Adorei seu texto, beijos!

    Marina Alessandra do blog Pelos Dezoito
    @mariinaale

    ResponderExcluir
  4. Ah, que lindo, uma bela forma de falar sobre suas lembranças.

    Rafa
    Blog Melody
    http://rafaacarvalho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Momentos e lugares que marcam e sempre ficarão tatuados na memória....beijos amiga e uma noite de paz pra ti..

    ResponderExcluir
  6. Lugares, pessoas e situações que marcaram a vida, jamais serão esquecidas. Linda postagem. Beijos e uma ótima sexta.

    ResponderExcluir
  7. Que lindo Luh, como sempre pessoas e momentos marcando a nossa vida. Voce foi encantadora com as palavras, tão meiga e tão mágica.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Em todas as partes que passamos, deixamos parte de nós. Continuamos nossos caminhos, mas as memórias se perpetuam.

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Um maravilhoso final de semana pra ti minha amiga,,,paz, flores e muitas poesias....beijos e beijos..

    ResponderExcluir
  10. Cada passo dado um pedaço de nós é deixado...
    Estava cm saudades de ler coisas boas como as que são postadas aki!


    Bjuss flor!
    Que tudo de melhor floresça em sua vida!

    ResponderExcluir
  11. A minha infância foi numa rua assim, ensolarada e calorenta até demais.
    Vivo hoje em uma casa onde o vento entra e se instala. Sempre parece muito frio aqui dentro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Que belas palavras :)
    Eu penso que sempre devemos mudar, mas carregar o que ficou de bom do que vivemos.
    Acho que se eu voltasse a morar na minha antiga casa, ia ficar muito nostálgica. E uso ia acabar me consumindo.

    Participe do sorteio:
    http://tecido-doce.blogspot.com.br/2012/10/mari-ribeiro-sorteio.html

    ResponderExcluir
  13. maravilhosas palavras!

    me fez refletir também nos lugares em que passei minha infancia e como era boa essa época, uma simples felicidade pura apenas pelo fato de respirar... infelizmente, nós crescemos e uma boa parte dessa alegria natural se desfaz...

    um grande abraço!

    ResponderExcluir
  14. Vim te desejar um ótimo final de semana! Que DEus te abençoe grandemente e que a semana que vai se iniciar seja cheia de vitórias!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Que saudade bonita e doce.
    Lindo que só.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Passando para desejar um ótimo sábado. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  17. Achei muito interessante sua perspectiva de que a garota que você era também não existe mais. Lembrei, lendo o seu texto, da minha própria experiência. Não que eu tenha me mudado; moro no mesmo condomínio há mais de dez anos e vi muita gente passar e crescer por lá, carregando consigo muitas lembranças. Ótimo post.
    Té mais.

    ResponderExcluir
  18. As lembranças de infância são as mais gostosas de lembrar! Saber o quanto a gente foi feliz e sabia, né? *-* Texto bom de ler, senti muita saudade da minha infância...
    Beijinhos

    hiperbolismos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Mas as lembranças adornam bem o coração. Talvez a rua já não seja como antes, nem as crianças sejam as mesmas a brincar, mas ela deixou um legado, uma história que enriquece a alma. Viver é isso. É sempre ter o que lembrar. Porque sentimos.

    Lindo meu bem! Lindo!

    Beijo e boa semana tá?

    ResponderExcluir
  20. Penso o mesmo sobre a minha infância. Naquele tempo nós éramos o que éramos e pronto, mas desde que crescemos..bem, as crianças são tão diferentes agora, quero dizer, todas aquelas que me acompanharam não dão mais importancia para o que vivemos antes. Uma pena.

    ResponderExcluir
  21. Uma rua que você jamais esquecerá. Uma rua de sonhos plantados.

    ResponderExcluir

Espresse aqui o que você achou das minhas palavras. Espalhem um pouco do seu carinho.