19 de agosto de 2012

Recordando a minha infância. ♥


Sempre quando recordo a infância o peito transborda uma saudade infinita. Vejo os seus retalhos espalhados por todos os lugares. É impossível não sentir saudades daquela menina de franja mal cortada, cabelos longos, magricela, que usava vestidinhos e sapatos com meias. Na verdade, eu era uma menina tímida de traços simples, com um olhar desconfiado. Às vezes, me sentia meio perdida em um mundo tão gigante.

Até meus oito anos eu morava em uma fazenda, depois tive que vim pra cidade estudar, e só voltava ao campo nos finais de semana. Neste lugar ficaram guardadas tantas lembranças. É inexplicável a saudade que sinto ao falar daquele recanto verde, das noites de fogueiras, das histórias que o meu pai me contava, sob o olhar das estrelas. Sinto falta de correr por entre as flores. Foi lá que desenhei a minha infância, dei meus primeiros passos, chorei e sorri pela primeira vez.

Quando tinha aproximadamente onze anos, meu pai aposentou-se e então fomos morar definitivamente na cidade. Foi tudo novidade, eu tinha um monte de amigas, desfrutava de coisas que no campo não tinha, mas até hoje quando a chuva bate na janela e eu vejo ao longe a montanha, lembro-me da menina que de certa forma ficou lá no campo, por entre aqueles pastos, correndo em busca do rio, pra se banhar em suas águas frias naquelas manhãs inesquecíveis.

Quisera eu voltar no tempo. Sentar na calçada ao lado dos meus pais e ficar procurando estrelas cadentes, e terminar a longa estrada de pedras que comecei a construir. Eu deitaria na sombra das árvores, e me encontraria novamente com aquela infância doce.

Daria novamente meus primeiros passos e viveria mais uma vez a emoção de um tempo que pra mim será sempre eterno, pois, hoje eu sou feliz, mas, a vida na infância é bem menos complicada, os sonhos são mais bonitos e o coração nunca se quebra.


                                                                         Luzia Medeiros 




Pessoal, infelizmente por motivos de saúde eu passarei uns dias afastada da blogosfera, mas, deixei uns textos com a Pâmela Ferracini. Ela ficará atualizando aqui. Beijos no coração de cada um de vocês. Espero voltar logo. Sentirei saudades.

8 comentários:

  1. Ai que texto lindo! Não tem coisa melhor do que ser criança... Sempre que fico relembrando minha infância sinto um frio enorme no peito, uma saudade, mas um sentimento de ter boas lembranças!

    http://lonellygirls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Lu, a infância trás tanta saudade. Imaginei sendo a menina do texto, correndo no mato na simplicidade da infância.

    Que Deus te abençõe querida e pode ter certeza que estarei torcendo por ti. Estarei sempre aqui, quando a Pâm postar.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Bonita postagem. Estava lembrando da minha infância esses dias com uns amigos. É tão bom recordar um tempo tão mágico. Sucesso na sua cirurgia. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Adicionei você no Facebook. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Senti um aperto no peito de tanta saudade da minha infância agora. Foram tantos momentos marcantes que eu daria um pouco do meu futuro só pra poder viver tudo de novo. Lindo texto Luzia, as lembranças sempre nos fazem pessoas fortes e com grande coração.

    Beijos e boa semana querida! ♥

    ResponderExcluir
  6. Oi querida

    Espero que você se recupere rapidinho e volte logo ao nosso convivio que sempre fica mais bonito com suas palavras...

    Beijos e se cuida
    Ani

    ResponderExcluir
  7. Eu também passei minha infância e depois, num certo ponto mudei pra cidade. Então, sei exatamente como é viver num lugar onde não existe essa correria constante das cidades grandes. Também sei como é banhar de rio e como é se sujar de areia o dia todo. rs!

    A infância é um mundo que ninguém esquece. Por mais velho que estejamos, o que foi bom, sempre fica. Bjws moça, aqui ta lindo!

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo! É tão maravilhoso reviver momentos assim.

    beijos.

    ResponderExcluir

Espresse aqui o que você achou das minhas palavras. Espalhem um pouco do seu carinho.