30 de agosto de 2011

Um adeus


      Estou aqui pensando como irei contar para vocês com riqueza de detalhes o que aconteceu naquele início de uma manhã tão linda, mas que pra mim foi cinzenta, pois digamos que não foi uma das melhores da minha vida.
        Bem, agora acho que já consigo contar, já respirei fundo e estou pronta pra reabrir essas feridas. Naquele dia acordei bem cedo com o celular tocando, e quando vi que era o meu amor, o Henrique, meu peito encheu-se de alegria, era ele me chamando para irmos ao parque perto da minha casa, como era domingo pensei que me levaria para um passeio romântico, e chegaria com flores, como era de costume, quando passávamos alguns dias sem nos vermos. Ele devia está mesmo com pressa, pois não deu nem tempo de me arrumar direito e ele logo chegou, com uma cara estranha olhou pra mim e falou:
     _ Oi Marie, vamos ao parque _ E simplesmente não disse mais nada, e nem levava flores para mim, nesse instante apenas respondi com um sorriso meio triste:
     _ Tudo bem, vamos logo.
     Ao subir na bicicleta o abracei meio sem jeito, era como se ele não me pertencesse como antes, ele estava tão próximo fisicamente, mas sua alma e talvez seus pensamentos estivessem tão distantes. Ao chegarmos sentamos num banquinho de madeira, o mesmo que me viu sorrir por tantas manhãs como aquela que o verde ao redor e o brilho do sol nos convidava a falar de amor, porém naquela manhã nada seria igual, no primeiro instante ficou um silêncio terrível, queria sumir daquele lugar, ele nem amenos conseguia olhar em meus olhos, pois em seu olhar já descia uma lágrima, foi aí que ele falou uma coisa que até hoje corta meu coração, ele disse assim.
      _ Marie, você  acredita se eu lhe disser que tudo o que vivemos foi único pra mim, e que você será sempre aquela garota, que a meu ver não tem defeito, a menina ideal, que marca a vida de qualquer homem.
      Naquele momento meu coração doeu como jamais havia doido, e foi uma dor tão profunda, que ao falar meus olhos se enchem de lágrimas novamente, eu sabia que aquela era uma maneira que ele acreditava ser mais amena, uma maneira de dizer não te quero mais, ele apenas usou palavras bonitas, que para mim doeu mais forte ainda. Mas eu precisava ser forte ou do contrário morreria ali mesmo, e então falei, com os olhos inundados de lágrimas e a voz embaçada: 
    _ Tudo bem Henrique, não precisa de rodeios, eu sei o que você quer dizer, você não me ama mais, não é. Para mim o silêncio serviu como resposta, mas eu queria ouvir da boca dele, pra eu poder acreditar que meu sonho de menina havia acabado, e então ele responde um doloroso não. Nossa! Nessa hora passou um filme na minha cabeça, eu não consegui dizer nada, só chorar e lembrar-se de toda a nossa história, da nossa infância juntos, da amizade que logo se tornou amor, das suas primeiras palavras, quando foi morar vizinho a mim, do nosso primeiro beijo, da noite em que ele foi pedir aos meus pais para me namorar e chegou todo envergonhado, éramos tão jovens, quinze anos apenas, e hoje depois de tanto tempo juntos, desse amor de uma vida inteira, hoje ele simplesmente acaba com tudo que eu acreditava, com tudo que eu sonhava.
      Depois que eu pensei em tudo que tínhamos vividos eu não o pedir pra ficar, apenas perguntei se ele amava alguém e ele respondeu que não, apenas tinha descoberto que o nosso amor foi uma coisa de infância, um sentimento puro, mas que talvez não fosse real. Sinceramente eu preferia ter fechado meu ouvidos para não ouvir aquilo, de repente o homem da minha vida, o que eu acreditava ser praticamente perfeito, não era mais nada do que eu sonhei, por isso o deixei partir, sem levar nada de mim, nem um adeus, e hoje depois de quase um ano, nunca mais o vi, ele foi morar em outra cidade, e nunca mais soube de sua vida, e por mais que a dor ainda exista foi melhor assim, ele levou muito de mim, levou minha infância, meus sonhos de menina, mas não levou a fortaleza de uma mulher, a minha dignidade, o meu amor próprio, e hoje desejo que ele seja feliz, e que essa dor que às vezes ainda perfura meu peito, cicatrize para sempre.   
   
  Muitas vezes um adeus pode ser um início de uma nova vida, 
 é como se soubéssemos   que haverá outros sorrisos,
 outras manhãs pra nos iluminar.                                              
                                                    
                                              (Luzia Medeiros) 

Ps. Conto para a 20° edição imagem do projeto suas palavras. 
Gostaria de convidá los a visitar meu novo blog e já tem post novinho em folha, é sobre bullyng, o nome do blog é: Assuntos sérios, bem o nome já diz tudo, quem quiser pode seguir ficarei muito feliz de vocês conhecem minhas novas palavras, falando sobre um novo universo. Desde já agradeço a quem visitá-lo e segui-lo, beijos no coração de todos, sim não se preocupem pois não abandonarei esse cantinho aqui, onde divido meus sentimentos com todos vocês.

            Blog: Assuntos sérios, Link: http://luzia2012.blogspot.com/

12 comentários:

  1. belas palavras Luh, texto perfeito o amor e meio assim voce pensa que esta com a pessoa da sua vida que passará todos momentos com ela mais no final leva uma rasteira do destino, o que podemos desejar e que a pessoa seja feliz mesmo que nao seja com voce , mais aquele sentimento que sentimos ainda fica a saudade tb mais uma vez eu me vi dentro do texto
    tenha um otimo dia
    bjusss

    ResponderExcluir
  2. Os pontos finais são tomadas de fôlego para voltar à trilha com mais força.
    Adorei!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Moça, este é um conto triste mas emocionante.Nos passa a sensação de todos os sentimentos descritos...parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Nssa!! Amei a maneira como nos envolve em cada palavra escrita...Amei seu blog.
    Estou te seguindo tb...
    Bjuss flor!!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei !
    Beijos, beijos,
    Ana Sílvia Diniz.
    http://www.anasilviadiniz.com/

    ResponderExcluir
  6. Luzia, que palavras lindas!

    Que sempre haja uma manhã bonita pra nos iluminar!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Que bela escrita, palavras e arte, palavras é arte, que todo dia se repita essas manhãs inspiradoras e tão lindas que temos nós.

    ResponderExcluir
  8. Tudo de alguma forma significa um novo início de vida. O importante é saber enxergar. Porque se tu se deixa levar pela dor, aquele momento pode significar o contrário, o fim de uma...

    Por isso é essencial ter serenidade para avaliar bem o que acontece conosco. O que fazem para nós. E extrairmos soluções, meios alternativos para evoluirmos. Continuarmos a viver.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Luzia, não tenho palavras.. Chorei ao ler esse texto, me emocionou *_*

    http://iasmincruz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. O amor e seus mistérios, suas surpresas.
    As vezes achamos que encontramos a pessoa certa, que vai ser pra vida toda ,ai vemo destino e acaba com tudo.

    Lindo texto!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, que intenso.
    Amei, Luzia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Infelizmente alguns recomeços machucam, doem.. Mas tem de ser assim. Para experimentar o amor, a felicidade, tem que conhecer a dor.

    Beijos

    ResponderExcluir

Espresse aqui o que você achou das minhas palavras. Espalhem um pouco do seu carinho.